CRIANDO HÁBITO DE POUPAR. QUER CRIAR O SEU FUTURO? POUPE, PLANTE. OS JUROS COMPOSTOS SE ENCARREGAM DA MÁGICA.

CRIANDO HÁBITO DE POUPAR. QUER CRIAR O SEU FUTURO? POUPE, PLANTE. OS JUROS COMPOSTOS SE ENCARREGAM DA MÁGICA.

“Nunca gaste seu dinheiro antes de recebê-lo”

Thomas Jefferson, ex-presidente dos Estados Unidos

Lendo um dos livros da série Pai Rico, Pai Pobre – Aposentado Jovem e Rico, revendo as lições de Robert Kiyosaki para todos nós aproveito para refletir com meus leitores.

Se você guarda, logo, tem. Guardar não é obvio.  A sua natureza insiste para que gaste todo o dinheiro que entra. Na hora. As ‘ofertas’ imperdíveis surgem a toda hora.

O seu feed do Facebook não me deixa mentir, sua caixa de e-mail não me deixa mentir. Seus amigos e os hábitos de ostentação de cada um não me deixam mentir.

Guardar dinheiro é o mesmo que investir. Aqui teríamos muitos conceitos que as pessoas andam misturando por aí. Não dê ouvidos a matérias de jornal nem em ‘dicas’ maravilhosas de analistas que trabalham para bancos ou corretoras. O interesse deles é oposto ao seu.

Poupar nada mais é do que acumular dinheiro. Entretanto, saber como utilizar tais recursos no futuro pode fazer uma diferença significativa na qualidade de vida do poupador, especialmente se eles forem direcionados para investimento.

Pense que durante cinco anos, você conseguiu guardar R$ 1.000,00 por mês, os quais foram sucessivamente depositados na poupança. Ao final daquele período, e considerando a rentabilidade mensal de 0,5%, você terá acumulado R$ 69.770,00

Quem guarda (investe) recebe o benefício da mágica dos juros compostos. Eles fazem a sua parte. A parte dos juros compostos é fazer o seu dinheiro crescer. Veja como:

Gráfico de juros compostos

Seu dinheiro é semente. Se você planta ele cresce.

Ele germina, reproduz. É a lei da natureza.

Nossa dinâmica financeira tem um paralelo com a agricultura. Ocorre que temos uma vantagem. Sempre é tempo de plantar. Na agricultura existe a estação certa para plantar.

No caso do dinheiro sempre é tempo.

Os juros são os frutos da nossa plantação, da nossa semeadura.

O adubo pode ser comparado aos aportes novos. Aporte = novos depósitos. Poupar sempre. Esse deve ser a sua melhor resolução. Poupar sempre.

QUEM PLANTA, COLHE.

HÁBITO

Poupar é um hábito. Para se criar um hábito é necessário vontade. Decisão.

Você faz, vai se convencendo.

Você não precisa ver todo o caminho. Precisa dar o próximo passo.

Escolha um método. Gosto da poupança de 52 semanas. Pode, e deve, separar um percentual (%) dos seus vencimentos, até 15% está de bom tamanho. 20% é para arrebentar.

Estou focado no processo. Na direção.

Você tem que caminhar. Keep Walking. Não desista de forma alguma.

Existe um forte componente psicológico aqui. Você precisa acreditar. Mudança é difícil e nos incomoda.

Mudar é possível, mudar é preciso.

Começa no pote, caixinha, porquinho, lata de leite, poupança, CDB, Tesouro Direto, Previdência Privada, Debêntures, ações e por aí vai.

Você tem que começar. HOJE!

O quanto antes começar, melhor.

Olhe para o futuro e imagine uma vida melhor. Fez? Comece a poupar hoje, agora. Vá construindo tijolo a tijolo essa vida futura. Aproveite jornada. É recompensador.

A gente constrói o futuro no qual quer viver, criar os filhos. A aposentadoria é assunto para jovens. Não confie no governo, não confie no INSS. Poupe, prepare-se.

Segundo o Gabriel O Pensador existe uma dança do desempregado, “quem ainda não dançou, tá na hora aprender, a nova dança do desempregado, amanhã o dançarino pode ser você”. A gente não sabe o que nos reserva o dia de amanhã, por esse motivo gente se prepara.

Poupar e investir é por otimismo. Por acreditar num futuro melhor. E não por medo do que virá. Não sei o que te motiva.

Não sei se prefere evitar dor ou buscar o prazer, não sei. De toda forma, seja por um ou outro motivo. Poupe. Reinvista os rendimentos. Faça aportes (depósitos) mensais.

Logo logo seu dinheiro já vai apresentar os primeiros frutos, filhos (juros compostos).

Esse gráfico é muito bom para você enxergar que o efeito dos juros compostos no longo prazo é absurdo.

O efeito dos juros compostos depende do tempo. Veja na fórmula abaixo:

M = C x (1+i)n

M = É o montante. O valor acumulado dos seus recursos.

C = É o capital. O valor investido. O valor que vai sofrer o efeito dos juros.

i = Taxa de juros. Alguns livros usam a letra T de tempo.

n = tempo. É o número de períodos que o dinheiro fica sob os efeitos dos juros compostos.

Você não precisa aprender a fazer a conta. Basta entender o mecanismo e colocá-lo para trabalhar a seu favor.

O EFEITO DOS JUROS COMPOSTOS É EXPONENCIAL.

“Os juros compostos são a força mais poderosa do Universo”

Albert Einsten

Além do tempo temos o aporte. O valor que é mensalmente colocado nos seus investimentos.

Agora vou explicar o mecanismo que faz com que os juros compostos sejam tão fantásticos.

Imagine que você guardou 100,00 no mês de Janeiro à taxa de 1% ao mês. Ao final do mês de Janeiro terá os 100,00 iniciais mais os juros. 100,00 x 1% = 1,00. Assim, seu saldo será de 101,00.

No mês de Fevereiro o saldo inicial será de 101,00 e não mais de 100,00. Nos juros compostos os juros se incorporam ao capital do mês anterior. A isso chamamos capitalização composta ou juros sobre juros.

Fazer aportes constantes é o mesmo que alimentar a cria ou adubar e regar a planta. O valor que está sob os preciosos cuidados dos juros compostos só cresce. Os juros mensais só vão crescer. O caminho dos seus investimentos quando fizer aportes mensais frequentes é crescer.

O Bastter sempre diz que o que enriquece é o trabalho. Ao entrar no mundo dos investimentos mantenha os pés no chão. Ninguém vai viver de investimentos no curto prazo. O que vai criar um futuro melhor e mais confortável para você é o seu trabalho. Concentre-se nele. Faça o seu melhor. É de lá que virá os aportes mensais tão preciosos ao seu enriquecimento pessoal.

Falar de aporte mensal é o mesmo que abordar a disciplina necessária para alcançar qualquer resultado importante na vida. Seja um resultado esportivo. Perda de peso. Passar numa prova. A disciplina é a chave.

Sem deslumbre. Não acredite em milagres nem em ofertas espetaculares com juros muito acima da referência que é o CDI.

O efeito dos juros compostos é como o motor que faz com que a riqueza de uma pessoa/família, de uma empresa ou de uma nação cresça em ritmo exponencial. O efeito que os juros causam no enriquecimento decorre diretamente do tempo… nos remete à grande necessidade de começar cedo.

Uma vez que começou a investir…

Em seguida seja paciente e não mexa no seu dinheiro. Os juros compostos só vão funcionar se você deixá-los crescer. Os resultados podem parecer pequenos no início, mas não se desanime. Pense sempre no resultado final que você irá atingir.

O fato de estar aqui ensinando conceitos de educação financeira é claramente nada contra a maré. Ou melhor, ir contra o pensamento comum de imediatismo. Educação Financeira e enriquecimento é longo prazo. Sempre.

Não há resultado no curto prazo. Você sempre vai se frustrar se pensar em resultados de curto prazo. No curto prazo os juros dos seus investimentos são frustrantes mesmo. Mas o tempo… Ahh o tempo. Faz milagres.

Veja o post sobre RESERVA DE EMERGÊNCIA (LINK)

Aqui vai entrar o conceito de risco dos seus investimentos.

Não gosto muito de abordar a taxa de juros. Acho o prazo mais importante. Prazo (tempo) e aporte frequente (disciplina).

Conseguir viver bem com menos do que se ganha é uma arte. No livro O Milionário Mora ao Lado de Stanley e Danko os autores abordam que os verdadeiros milionários americanos são pessoas comuns que poupam e investem compulsivamente. Vivem na mesma casa, usam roupas simples, carros usados e de marcas populares. Os hábitos das pessoas bem sucedidas são determinantes do quanto conseguem poupar e investir.

Caso tenha muita dificuldade em poupar, experimente a ideia do ‘pague-se primeiro’. Ao receber o seu salário, primeiro separe um valor para a sua poupança.

Quanto ao percentual da sua renda que deve ser poupado não vou estabelecer um valor fixo. Sempre recomendo que o ideal é em torno de 10%.

Esse seria o mínimo ideal.

É claro que quanto mais, melhor. Perto de 15% seria extraordinário. Mas não sejamos muito exigentes com nossos leitores e assinantes.

Mas comece com o que der. Você precisa começar a poupar. Não perca tempo.

COMEÇAR A POUPAR É URGENTE. FAÇA ISSO PELO SEU FUTURO E PELO FUTURO DE SUA FAMÍLIA.

Se puder começar com 1% ao mês já seria ótimo. Vá aumentando. Faça como o Desafio do Clube do Pai Rico, Poupe 1% em Janeiro, 2% em Fevereiro e assim por diante.

Vá por mim, vale muito a pena.

Ver os juros caindo todos os dias, meses e anos na sua conta é muito bom.

Depois que começar a poupar vai repensar seus gastos e toda vez que for gastar com alguma coisa inútil sua consciência vai lembra-lo dos juros que poderia estar ganhando.

Nós investimos porque estamos construindo o futuro e a vida que queremos viver.

Gostou? Quer aprender mais?

Elaborei um e-book gratuito que te guia na construção de riqueza pessoal. Clique aqui para baixar.

Você já conhece nossa página no Facebook e no nosso canal no Youtube? Lá temos mais conteúdo de qualidade para o seu crescimento pessoal.

Veja o vídeo com dicas sobre a Caderneta de Poupança:

 

Agora veja veja dicas sobre CDB:

 

Um forte abraço.

 

Cléber Miranda

Educador Financeiro

cleber9998@gmail.com

@minhagrana

TUDO SOBRE BOLSA DE VALORES

A Bolsa de Valores do Brasil é a BM&F Bovespa que fica em São Paulo. O site da bolsa é www.bmfbovespa.com.br.

Investir na Bolsa de Valores pode ser uma excelente alternativa de diversificação. No longo prazo a bolsa é um excelente investimento.

Veja no vídeo os aspectos mais importantes para se conhecer antes de investir em ações.

 

Veja mais dicas sobre Bolsa de Valores no vídeo abaixo:

Segue o vídeo que conclui a série:

Caso queira avançar na sua educação financeira recomendo meu livro que está disponível na Amazon: http://amz.onl/eeAokLY

 

Ao mencionar o investimento em ações não estou fazendo recomendação de nenhuma empresa em especial.

O investimento em ações envolve riscos. Ganhos passados não significam ganhos futuros.

Estude e invista com tranquilidade.

Conheça o Sistema Financeiro Nacional – SFN e como se organiza o Mercado Financeiro no Brasil

Os Sistema Financeiro nacional está organizado e dele fazem parte instituições públicas e privadas.

A organização do sistema financeiro se dá como na figura abaixo:

SFN - Sistema Financeiro Nacional
Sistema Financeiro Nacional Mercado Financeiro no Brasil

Todo o SFN está organizado sob as ordens do CMN – Concelho Monetário Nacional que é o órgão máximo do sistema Financeiro Nacional. Fazem parte do CMN o Ministro da Fazenda, o Ministro do Planejamento e o Presidente do Banco Central.

Além do Banco Central que regula o funcionamento dos bancos, temos a CVM – Comissão de Valores mobiliários que regula o funcionamento da Bolsa de Valores e demais valores mobiliários como Fundos de Investimento.

Ambos, Bacen e CVM são autarquias federais que estão subordinadas ao Ministério da Fazenda.

Assim, agentes Superavitários (pessoas e empresas que possuem recursos sobrando) entregam dinheiro a instituições financeiras que os repassa aos agentes Deficitários (pessoas e empresas/governo que precisam de recursos).

Então o Mercado Financeiro não é um lugar físico mas um mercado que está organizado em todo o mundo e tem o objetivo de fazer agentes DEFICITÁRIOS e agentes SUPERAVITÁRIOS se encontrarem.

O mercado financeiro faz esse encontro mágico de graça? Claro que não.

Se eu deposito dinheiro no banco a 1% ao mês esse banco empresa esse dinheiro a 3% a outra pessoa que precisa de dinheiro. Essa diferença entre o 1% que o banco paga a mim e os 3% que recebe do cliente que tomou emprestado damos o nome de SPREAD.

SPREAD – É a diferença entre a remuneração que o banco paga aos poupadores e a que ele recebe dos tomadores de recursos.

É isso. O Mercado Financeiro é esse encontro de gente que tem dinheiro com gente que precisa de dinheiro para satisfazer as mais diversas necessidades de recursos.

Dentre as grandes instituições que atuam no Mercado Financeiro nacional, temos a Bolsa de Valores que movimenta bilhões de reais todos os dias, temos as Corretoras e Distribuidoras de Valores Mobiliários, temos o Banco do Brasil que é o maior banco múltiplo do mercado e ainda faz o papel de agente financeiro do governo mesmo sendo uma Sociedade de Economia Mista.

A Caixa Econômica Federal ou simplesmente Caixa como a conhecemos hoje é uma instituição governamental, uma empresa estatal, com capital 100% controlado pelo governo.

Assim como o Banco do Brasil, a Caixa atual em diversos setores como distribuição de fundos de investimento, gestão de fundos, emissão de cartões de crédito, crédito ao consumidor, a empresas e ainda opera os programas sociais do governos como PIS, FGTS e é o maior financiador da casa própria no Brasil.

Previdência Complementar

Além da área bancária e bolsa de valores o Conselho Monetário Nacional ainda possui uma área ligada à Previdência Complementar ou Planos de Previdência Privada. Trata-se do Conselho Nacional de Previdência Complementar que possui como órgão supervisor a PREVIC – Superintendência Nacional de Previdência Complementar. As entidades de previdência abertos e fechados são supervisionados e regulados pela Previc.

Seguros Privados

Na área de seguros temos o Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) e o órgão supervisor é a SUSEP – Superintendência de Seguros Privados que regula a área de seguros privados, sejam pessoais ou empresariais. O IRB – Instituto de Resseguros do Brasil é uma das instituições que compõem esse ecossistema.

DEPÓSITOS À VISTA

Os depósitos à vista são os valores que estão na conta corrente ou na poupança. São valores que estão à disposição do poupador a qualquer momento. Esses valores possuem liquidez imediata.

DEPÓSITOS À PRAZO

São valores depositados nos bancos com prazo para resgate. Trata-se principalmente dos recursos depositados nos CDBs – Certificados de Depósito Bancário. Esse produto bancário é muito popular e de simples operação. Existem CDBs pré e pós fixados. Os CDBs pré-fixados normalmente são de curto prazo. Os CDBs pós fixados possuem prazo de até 5000 dias.

Veja no vídeo dicas sobre CDB:

 

Veja no vídeo abaixo algumas dicas sobre Renda Fixa pré e pós-fixada:

No caso da renda fixa privada temos um seguro chamado FGC:

 

Além dos depósitos à vista e dos depósitos à prazo ainda temos os DEPÓSITOS COMPULSÓRIOS.

DEPÓSITOS COMPULSÓRIOS

Depósitos Compulsórios ou Recolhimento Compulsório é uma regra do Banco Central para regular a circulação de moeda na economia.

O Banco Central apresenta detalhes sobre o Compulsório: https://www.bcb.gov.br/htms/novaPaginaSPB/compulsorios.asp

Simplificando o depósito compulsório é parte dos depósitos à vista e à prazo que devem ser recolhidos ao Bacen.

Segundo o Bacen o depósito compulsório atual está em:

 depósitos à vista – 45%

 depósitos a prazo – 36%

 depósitos de poupança – 30%.

O Sistema Financeiro Nacional – SFN é grande e complexo. São muitas instituições e agentes atuando o tempo inteiro.

CRIAÇÃO DE MOEDA ESCRITURAL

Você sabia que os sistema bancário cria dinheiro? Isso mesmo.

As instituições podem ser monetárias ou não-monetárias. O que seria uma instituição não-monetária? Instituições não monetárias ( ou não-financeiras) são as entidades que não fazem captação de depósitos à vista (não operam com depósitos à vista).

Já as instituições financeiras monetárias são aquelas que captam depósitos à vista e com essa atividade “criam moeda“. É o chamado Multiplicador Bancário.

Multiplicador bancário ou Multiplicador monetário é a capacidade que os bancos tem de ampliar a Base Monetária, emprestando dinheiro e cobrando juros.

Olha só como funciona: O banco depositário pode realizar empréstimos com parte do dinheiro do correntista, que dificilmente irá sacar todo o seu dinheiro de uma só vez.

Por lei, o banco precisa guardar apenas uma pequena fração do dinheiro depositado [recolhimento compulsório, que falamos acima], podendo emprestar o restante.

Imagine o seguinte: Uma pessoa deposita R$ 1.000,00 no banco “Bom Crédito” e que o recolhimento compulsório é de 10%. O banco empresta 90% do dinheiro, ou seja, R$ 900,00 para algum cliente.

Imagine que dois clientes peguem esse dinheiro, um R$ 500,00 para pagar alguma dívida e outro R$ 400,00 para comprar uma TV.

Se o vendedor da TV e o que recebeu o pagamento da dívida depositam no banco de preferência dele, o banco “Mais Grana”, temos aí R$ 900,00 depositados em outro banco.

O banco por sua vez também retém 10%.

Então, desses R$ 900,00 vai depositar na conta “Reservas Bancárias” junto ao Banco Central e pode conceder crédito de R$ 810,00 para outro cliente.

Observe que esses R$ 810,00 são oriundos daqueles R$ 1.000,00 iniciais. 

Isso é possível graças ao fenômeno do “multiplicador bancário”. 

Na verdade, não é criado mais moeda física e sim moeda escritural. É aquela que só existe eletronicamente. 

Esse ciclo ocorre várias e várias vezes.

As informações sobre Criação de Moeda Escritural são de: http://www.evplayer.com.br/loja/material-demonstrativo/bacen-sistema-financeiro-nacional-e-sistema-de-pagamentos-brasileiro

CONCLUINDO

Do exemplo de moeda escritural depreende-se que se a qualquer momento todas as pessoas resolverem sacar o seu dinheiro do banco simplesmente seria o caos. Primeiro porque esse dinheiro não existe e depois porque ele não está totalmente disponível.

 

Fale comigo: cleber9998@gmail.com

Curta nosso canal no Youtube

Curta nossa página no Facebook