O que fazer em tempos de Crise? 2 Dicas essenciais

Nesses tempos de crise e juros altos o que você está fazendo?
Pesquisas relatam que o ‘ajuste fiscal’ chegou nas famílias brasileiras e as pessoas estão adiando consumo, renegociando dívidas e mudando planos.

Pode ser que existam oportunidades de Renda Extra a serrem exploradas nessa época.

A Selic está em 14,25% ao ano e os juros no Cheque Especial atingem 300% ao ano. Os juros do cartão de crédito estão proibitivos.
Dicas do que fazer nesses tempos de vacas magras que tossem.

 

Dívidas
Dívidas

Dica 1 – Corte Gastos
Passe um pente fino nas suas despesas. Corte o que não é essencial.

Repense cada despesa. Liste tudo o que você compra.

Verifique conta de água, luz e telefone. Reúna a família. Observe se não existem desperdícios.

Dica 2 – Mude hábitos de consumo
Você nunca foi de pechinchar? Que tal começar?
Tempos de crise não são bons momentos para frescura. Negocie o preço de tudo, chore, reclame. Não tem jeito. Seu dinheiro é suado. O meu é. É duro ganhar, assim, deve ser difícil tirar R$ 1,00 do seu bolso.

Compartilhe conosco o que tem feito para enfrentar a crise.

Você cortou gastos?
O que cortou?
Mudou algum hábito de consumo?

Conte para nós.
Tempos difíceis, vamos compartilhar.

Nesse esforço de recuperação financeira, pergunte a si mesmo e à sua família como se livrar das dívidas.

Nunca menospreze a possibilidade de renegociação de dívidas e pacotes, seja de internet, tv ou celular.

Para mudar você precisa ser honesto consigo mesmo e com sua família.

 

Cléber Miranda

 

 

O que fazer? Por que fazer? Como fazer?

Imagine a pior situação financeira que alguém possa enfrentar. Embora eu prefira falar de riqueza e prosperidade, tenho que ajudar as pessoas em dificuldade a se recuperar.

Quando você tem dívidas e as entradas são menores do que as saídas, o que fazer?

 

 

Vou postar sequencialmente aqui o plano de ação da recuperação financeira:

Oque fazer? Como fazer? Porque fazer? Quando fazer? Quanto custa?

  1. Registre todos os gastos;

  2. Registre todas as dívidas;

  3. Classifique as dívidas por ordem de juros e encargos financeiros;

  4. Converse com cada credor. Apresente a ele a sua situação. Isso não é humilhante, pelo contrário, vai mostrar que você é bom intensionado e quer colocar a vida em ordem;

  5. Olhe bem para as suas despesas e CORTE todos os supérfluos, tudo o que não é item de sobrevivência;

  6. Água, luz, telefone, gás e outros como esses devem ser observados, dá pra economizar fechando a torneira e apagando a luz. Isso não é ‘pão-duragem’, isso chama-se responsabilidade;

  7. Explique para a família o seu plano de recuperação, eles vão entender. É necessário ter aliados no seu projeto de se restabelecer financeiramente;

  8. Pense em quanto ganha por dia (divida seu salário ou renda mensal por 30). Você precisa ter superávit (saldo positivo) todos os dias. Isso vai te animar. Otimismo é importante. Se vir que está no caminho certo vai se energizar para continuar;

  9. Elabore o Orçamento de Guerra. Classifique os seus gastos da seguinte forma:

  • A. Alimentar
  • B. Básico
  • C. Contornável
  • D. Desnecessário

Logo de cara elimine tudo o que classificou como D. Afinal é desnecessário e os tempos não estão para desperdício. Os itens classificados como C devem ser restringidos e controlados, no mínimo 50% de corte. Os itens A e B são essenciais, mas é possível observar uma possível substituição de marca, uma economia de água, luz, combustível, celular e outros.

O Orçamento de Guerra eu aprendi no livro do Willian Eid Júnior e Fábio Gallo Garcia da Publifolha.

Recuperar as contas para sobrar e viver em abundância.

É PRÁ JÁ!

Estamos no FACEBOOK e no YOUTUBE.

Que tal começar a mudar sua vida financeira? Poupe hoje.

Entre em contato: cleber9998@gmail.com